Como nasceu o Brechó de ideias

 

Eu, paranaense do interior, nem fazia ideia do que era um brechó!?  Palavra mais estranha… e eu a ouvi pela primeira vez quando os meus tios que vieram para as festas de natal, mostraram um objeto em bronze, muito bonito e disseram: arrematamos num “brechó”! Fiquei curiosa e quando perguntei, me foi explicado que era uma loja onde se encontrava de tudo um pouco. Antiguidades, coisas que as pessoas não usam mais, mas que outras pessoas podem querer, objetos diferentes e curiosos… Então fiquei imaginando um montão de coisas, de ideias, de imagens…ideias!??? será que poderíamos encontrar ideias antigas que ninguém queria mais, mas que outras pessoas poderiam usar? Porque não??? Fui para a escola pensando nisso.

O tempo passou!  Hoje, mãe, avó e aposentada, tenho todo o tempo do mundo só para mim…(quase…tem netos) decidi então buscar certas explicações, aquelas que ainda não tinha tido tempo para encontrar e que hoje é muito mais fácil…tem internet…e fui… Passei uma vida tentando entender algumas coisas como por exemplo: o que fazer quando os filhos já adultos se casam ou vão cuidar de suas vidas, o que é a ordem natural das coisas! Nós mulheres, e eu penso que a maioria de nós, nos sentimos um pouco traídas! Engravidamos, cuidamos dos nossos filhos para crescerem saudáveis e educados, não se importando com a noites sem dormir, os cabelos sem escovar, as unhas sem preparo…e quando piscamos os olhos…pronto!!!! já cresceram, apanharam suas mochilas e vão em busca de si mesmos!!!! E nós??? as mães ou quem quer que cuidou até então!!! ficamos no portão a olhar a imagem que desaparece na vida, torcendo para que  dê tudo certo!  O que fazer então?

AhAh!!! Hora de recomeçar!!! Repaginar a vida… REAPROVEITAR!

Então, porque não revirar o baú de guardados e a minha própria cabeça e ver se tem alguma coisa que ainda pode ser aproveitada “daqueles tempos”?

Foi aí que encontrei em meio aos meus entulhos pessoais, dentro da massa cinzenta a tal palavra “brechó”! Bem guardadinha lá no fundo, esperando a hora de aparecer! Trouxe-a para fora, tirei a poeira e passei a examinar seu DNA, e olha só o que eu encontrei:

Um brechó (português brasileiro) ou bazar de caridade (português europeu) é uma loja de produtos usados, principalmente roupas, calçados, louças, objetos de arte, bijuterias e objetos de uso doméstico. Os sebos são seu equivalente, vendendo apenas livros, apesar de brechós também venderem livros. Geralmente atraem um público mais alternativo, artistas em geral e pessoas de baixa renda, bem como aqueles à procura de artigos originais e únicos. Alguns funcionam também por consignação (onde os donos dos objetos deixam os artigos no brechó e recebem uma parte na venda) e/ou por escambo (na base de trocas).

Escambo eu não conheciapara mim chamava-se barganha!!

Mas olha só de onde vem a palavra B-R-E-C-H-Ó:

 No século XIX um mascate chamado Belchior ficou conhecido por vender roupas e objetos de segunda mão no Rio de Janeiro. Com o tempo o nome se transformou por corruptela em “Brechó”.  A dificuldade de se pronunciar BELKIOR levou as pessoas a dizerem BELXIOR e daí para BRECHÓ foi só uma questão de tempo. Adorei o achado!

O sentido de brechó foi lido a primeira vez no conto de Machado de Assis – Ideias de Canário – onde o protagonista logo no início entra um estabelecimento por nome “belchior”:

… sucedeu que um tílburi à disparada, quase me atirou ao chão. Escapei saltando para dentro de uma loja de belchior… A loja era escura, atulhada das cousas velhas, tortas, rotas, enxovalhadas, enferrujadas que de ordinário se acham em tais casas, tudo naquela meia desordem própria do negócio. (a idéia que o autor passa é macabra…)

Então ideia e o brechó podem se dar muito bem!

Já a palavra ideia é mais filosófica e para ter uma ideia do que é ideiafui para a internet (outra vez)!!!

Segundo o «Dicionário de Filosofia e Psicologia» (Dictionary of Philosophy and Psychology), Stout e Balwdin, ideia é:

A reprodução através de uma imagem mais ou menos adequada, de um objeto que na realidade não está presente nos sentidos.

Ainda segundo o referido dicionário:

as ideias  se transmitem não só de pessoa para pessoa mas também de uma cultura para a outra.

Também significa:

  • conteúdo do pensamento : «Nunca pensei nisso
  • conteúdo da forma : «Logo às primeiras notas musicais, surge a ideia da partitura
  • opinião : «Não gosto dessa ideia
  • aproximação mental : «Essa ideia aproxima-se da coisa
  • estima : «Com essa ideia, agora você vai lá chegar
  • intenção : «A ideia é almoçar com ela
  • inovação : «É uma ideia promissora

A aula é por conta da : Wikipédia, a enciclopédia livre

Bem, concluindo: o Brechó de ideias é um misto de concreto e abstrato! O brechó é muito concreto e tudo nele é palpável, sensível ao tato e ocupa lugar físico.  Mas as ideias… essas não tem como mensurar…vem de todas as direções e se amontoam na minha usina(cabeça) que as transforma em coisas de brechó!

Definindo: Brechó de ideias é tudo aquilo que você idealiza e de alguma forma transforma em realidade!

E assim foi criado o Brechó de ideias!

 E quero partilhar com vocês essas coisas que aprendi ao longo da vida, outras que ainda pretendo aprender e pôr em prática algumas coisas das quais gosto muito…é isso!

Seja benvindo ao Brechó de ideias